Empréstimo para quitar folha de pagamento do RJ será assinado até segunda

Empréstimo para quitar folha de pagamento do RJ será assinado até segunda

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, afirmou hoje (8) que a assinatura do empréstimo de R$ 2,9 bilhões com o banco BNP Paribas, que será utilizado para quitar os salários em atraso dos servidores do estado, deverá ser assinado até segunda-feira (11). O empréstimo faz parte do plano de recuperação fiscal firmado pelo estado com o governo federal. Segundo Pezão, após mais de um ano de negociações para fechar o plano de recuperação, durante esta madrugada ele “sacramentou” com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o acerto que faltava para a assinatura do empréstimo.

Em troca dos R$ 2,9 bilhões, o governo do Rio de Janeiro ofereceu como garantia ao banco até 50% das ações da Companhia de Águas e Esgoto do Rio de Janeiro (Cedae), que será privatizada. Pezão disse que há chances de o empréstimo ser assinado ainda nesta sexta-feira, ou no máximo na segunda feira. O custo do empréstimo será pago pelo governo do estado depois de três anos.

“Para a gente colocar a vida do servidor do estado em dia, botar este estado caminhando, andando. Tenho certeza de que nesta próxima semana a gente vai dar esta virada no estado. E a virada se faz não só com os resultados que estamos tendo em todo o Brasil, importantíssimos, com inflação saindo hoje abaixo de 3%, com o PIB chegando já perto de 1% de crescimento, com a menor taxa de juros na história desse país, com diversos avanços econômicos.  Mas a gente tem que voltar os olhos para os empregos”, disse após a cerimônia de entrega da Rodovia Prefeito Nélson dos Santos Gonçalves, a Rodovia do Contorno, em Volta Redonda, na região do Vale do Paraíba. A obra é uma das mais de 7 mil que foram retomadas por meio do Programa Agora, é Avançar, do governo federal.

Geração de empregos

Durante a cerimônia de entrega da Rodovia do Contorno, que levou 22 anos para ser concluída, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, destacou que a retomada de obras do programa vai permitir a criação de novos empregos. Moreira, que é coordenador-geral do Programa Agora, é Avançar, avaliou que, embora os níveis de desemprego estejam em queda, o patamar dos que estão fora do mercado de trabalho ainda é elevado e impõe desafios “enormes a serem vencidos”.

“Essas obras significam no estado do Rio de Janeiro investimentos de mais de R$ 10,5 bilhões, gerando o que é mais importante para nós, de imediato: empregos. A oportunidade das pessoas que tinham seus empregos nessas obras e que elas, paralisadas, perderam os seus empregos. Mais do que isso, vamos poder gerar melhoria da qualidade de vida da população. Então, vamos cumprir com objetivos muito importantes e fundamentais, a geração do emprego e da renda e a melhoria da qualidade de vida da população”, disse.

Para ele, o ambiente econômico mais favorável que o país está atravessando, que devem refletir no crescimento da arrecadação, dará condições ao governo federal para realizar investimentos.

Moreira também criticou os problemas que surgem e atrasam o andamento de obras em razão da ação dos órgãos de fiscalização. “[É] como se eles se colocassem acima dos interesses da população. Eles fazem o calendário que querem, eles dão as licenças quando entendem que está na hora que tem que ser dada. Não importa se a obra está paralisada, se a população é prejudicada e se essas dificuldades todas fazem com que o país perca dinheiro”, apontou.

8 de dezembro de 201719:48

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *