Funcionários do Theatro Municipal protestam mais uma vez por salários atrasados

Funcionários do Theatro Municipal protestam mais uma vez por salários atrasados

Os artistas, técnicos e funcionários administrativos da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro fizeram na tarde de hoje (18), nas escadarias do teatro, a terceira manifestação artística do ano em protesto contra os atrasos no pagamento de seus salários e a falta de condições para o funcionamento da tradicional casa de espetáculos, inaugurada em 1909.

Vinculado à Secretaria Estadual de Cultura, o Theatro Municipal tem sido afetado pela crise nas contas do estado.

Integrantes do movimento SOS Theatro Municipal, criado em meio à crise, afirmam que servidores do teatro estão sendo despejados, perdendo a cobertura de plano de saúde e até com dificuldades para comprar comida.

“Nós, bailarinos, cantores, maestros e músicos da orquestra, todos temos formação, somos contratados para funcionar dentro desta casa e estamos impedidos pelas circunstâncias de fazer o nosso ofício, de trabalhar nas nossas temporadas e apresentações”, disse Ciro D’Araujo, integrante da comissão de artistas que negocia com o governo estadual. “Nós temos talento para gritar no meio da rua e vamos fazer isso quantas vezes for necessário. A nossa maneira de gritar, de mostrar indignação, é mostrar a nossa arte”, acrescentou, antes do início da apresentação desta segunda.

Além dos funcionários do Municipal, a manifestação teve a participação de artistas da Escola de Dança Maria Olenewa (unidade de formação de bailarinos ligada ao teatro) e também de grupos sem vínculo com a instituição, como a Orquestra Voadora, Passinho Brasil Companhia de Dança, Companhia Brasileira de Ballet, além de integrantes de escolas de samba.

O programa, que atraiu um público de centenas de pessoas, foi aberto com um trecho da cantata Carmina Burana, de Carl Orff, executado pelo ballet, coro e orquestra do Theatro Municipal. Na sequência, os bailarinos Debora Ribeiro e Diego Lima se apresentaram em duo, ao som de trecho da Nona Sinfonia de Beethoven, também executada pela orquestra e pelo coro.

Em seguida, se apresentaram as primeiras bailarinas Cecilia Kerche e Ana Botafogo, essa em duo com o dançarino Carlinhos de Jesus, ao som da música Fascination. A manifestação artística teve ainda um flash mob com os grupos de dança convidados, e foi encerrada com todos cantando Apesar de você, de Chico Buarque.

Na última sexta-feira (15), após a assinatura em Brasília do acordo com o governo federal que autorizou o Estado do Rio de Janeiro a contrair um empréstimo de R$ 2,9 bilhões com o banco BNP Paribas, o governador Luiz Fernando Pezão prometeu pagar os salários em atraso do funcionalismo público estadual antes do Natal.

 

Os artistas, técnicos e funcionários administrativos da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro fizeram na tarde de hoje (18), nas escadarias do teatro, a terceira manifestação artística do ano em protesto contra os atrasos no pagamento de seus salários e a falta de condições para o funcionamento da tradicional casa de espetáculos, inaugurada em 1909.

Vinculado à Secretaria Estadual de Cultura, o Theatro Municipal tem sido afetado pela crise nas contas do estado.

Integrantes do movimento SOS Theatro Municipal, criado em meio à crise, afirmam que servidores do teatro estão sendo despejados, perdendo a cobertura de plano de saúde e até com dificuldades para comprar comida.

“Nós, bailarinos, cantores, maestros e músicos da orquestra, todos temos formação, somos contratados para funcionar dentro desta casa e estamos impedidos pelas circunstâncias de fazer o nosso ofício, de trabalhar nas nossas temporadas e apresentações”, disse Ciro D’Araujo, integrante da comissão de artistas que negocia com o governo estadual. “Nós temos talento para gritar no meio da rua e vamos fazer isso quantas vezes for necessário. A nossa maneira de gritar, de mostrar indignação, é mostrar a nossa arte”, acrescentou, antes do início da apresentação desta segunda.

Além dos funcionários do Municipal, a manifestação teve a participação de artistas da Escola de Dança Maria Olenewa (unidade de formação de bailarinos ligada ao teatro) e também de grupos sem vínculo com a instituição, como a Orquestra Voadora, Passinho Brasil Companhia de Dança, Companhia Brasileira de Ballet, além de integrantes de escolas de samba.

O programa, que atraiu um público de centenas de pessoas, foi aberto com um trecho da cantata Carmina Burana, de Carl Orff, executado pelo ballet, coro e orquestra do Theatro Municipal. Na sequência, os bailarinos Debora Ribeiro e Diego Lima se apresentaram em duo, ao som de trecho da Nona Sinfonia de Beethoven, também executada pela orquestra e pelo coro.

Em seguida, se apresentaram as primeiras bailarinas Cecilia Kerche e Ana Botafogo, essa em duo com o dançarino Carlinhos de Jesus, ao som da música Fascination. A manifestação artística teve ainda um flash mob com os grupos de dança convidados, e foi encerrada com todos cantando Apesar de você, de Chico Buarque.

Na última sexta-feira (15), após a assinatura em Brasília do acordo com o governo federal que autorizou o Estado do Rio de Janeiro a contrair um empréstimo de R$ 2,9 bilhões com o banco BNP Paribas, o governador Luiz Fernando Pezão prometeu pagar os salários em atraso do funcionalismo público estadual antes do Natal.

 

http://agenciabrasil.ebc.com.br/cultura/noticia/2017-12/funcionarios-do-theatro-municipal-protestam-mais-uma-vez-por-salariosVIA EBC ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*