Editorial | Rápido balanço de um ano que não acaba

Editorial | Rápido balanço de um ano que não acaba

Retrocessos

2017 termina do jeito que começou: com os trabalhadores se defendendo contra a retirada de direitos

Redação Paraná |
Brasil de Fato Paraná acredita na capacidade criativa do povo brasileiro, na luta por seus direitos
Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

2017 termina do jeito que começou: com os trabalhadores se defendendo contra a retirada de direitos por parte do governo Temer (PMDB). Entre os dias 5 e 14 de dezembro, nove pessoas de movimentos sociais fizeram greve de fome contra o desmonte da aposentadoria. Essa e outras manifestações da sociedade garantiram que a votação ficasse para fevereiro de 2018.

Antes, maio e setembro foram os meses de depoimento do ex-presidente Lula (PT) ao juiz Sérgio Moro, em Curitiba. Mas, até agora não foram apresentadas provas que vinculem Lula à corrupção. Mesmo assim, o ex-presidente recebeu verdadeiros ataques da mídia comercial, em um conflito que deve seguir até o julgamento, marcado para o dia 24 de janeiro de 2018. E deve aumentar até as eleições de 2018.

No Paraná, o governador Beto Richa (PSDB) surfou na onda na propaganda de que realizou o “ajuste” fiscal, esquecendo da repressão do dia 29 de abril de 2015. O tucano retirou investimentos do serviço público (caso da Sanepar e das universidades estaduais) e arrochou os professores.

Apesar das dificuldades, o Brasil de Fato Paraná acredita na capacidade criativa do povo brasileiro, na luta por seus direitos.

Boas festas! Seguimos com fraternidade e esperança!

22 de dezembro de 201712:47

Via Brasil de Fato

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*