Coluna de Ciências | Misturar bebidas faz mal?

Coluna de Ciências | Misturar bebidas faz mal?

Dúvida

“É comum em nosso dia a dia relacionarmos fatos que não possuem ligação real com base apenas em nossa percepção”

Renan Santos* |
Melhor cura para ressaca é beber pouco
Reprodução

Dia 1º de janeiro rolando e as lembranças de uma animada noite de réveillon tomam conta do bate papo entre amigos. Aí alguém diz: “é, a ressaca me pegou, não devia ter misturado tantas bebidas ontem…”. Essa é uma cena que deve ter se repetido incontáveis vezes Brasil afora nesse final de ano. Mas, e aí? Misturar bebidas alcoólicas realmente potencializa a ressaca?
O álcool etílico (ou etanol) presente em várias bebidas é uma substância tóxica para o organismo humano. Assim, ao ser ingerido, o corpo trabalha para eliminá-lo. O principal órgão responsável por isso é o fígado. 
Ressaca é o nome dado à sensação que sentimos após um episódio de intoxicação alcoólica. Ou seja, quando a quantidade de etanol absorvida é superior à quantidade que o fígado consegue metabolizar (em média 10 g por hora, o equivalente a uma latinha de cerveja, uma taça de vinho ou uma dose de cachaça). Os principais sintomas da ressaca são mal-estar, náusea, vômito e dor de cabeça. 
Por incrível que pareça, a ciência ainda não compreende totalmente as causas da ressaca. Provavelmente, ela tem relação com a diminuição dos níveis de açúcar no sangue e com a desidratação.
O que já se sabe é que a origem do álcool não faz diferença, e sim a sua quantidade. Ou seja, não é o fato de misturar diferentes tipos de bebidas (destiladas, fermentadas, mais fortes ou mais fracas) que leva à ressaca, e sim beber demais.
É comum em nosso dia a dia relacionarmos fatos que não possuem ligação real com base apenas em nossa percepção. Essa é uma das causas da existência de diversos mitos e lendas do senso comum. A ciência, ao quantificar, sistematizar e medir dados a partir de ferramentas (que ocupam o lugar dos nossos sentidos) serve justamente para descobrirmos quais relações são reais e quais não são.
Quando uma pessoa bebe moderadamente, geralmente ela fica em um só tipo de bebida. Já naquelas noites mais animadas, em que se “enche a cara”, é normal o uso de mais de um tipo de bebida. Daí, no dia seguinte a desculpa está na ponta da língua. Não foi por ter bebido demais, e sim pela mistureba feita. É muito mais cômodo acreditar nisso do que assumir que bebeu demais, não é mesmo?
Também não existe receita mágica contra a ressaca. Chás, remédios, beber água, comer… nada disso é ainda indicado cientificamente como forma de se evitar ou curar uma bebedeira. Portanto, se quer realmente evitá-la, só há uma coisa a ser feita, beber com moderação.

Um abraço e até a próxima!

*Renan Santos é professor de biologia da rede estadual de MG
 

17 de Janeiro de 201808:15

Via Brasil de Fato

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Hits: 2

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário