Estudantes realizam encontro em defesa das universidades públicas na UFBA

Estudantes realizam encontro em defesa das universidades públicas na UFBA

Bahia

Durantes os dois dias de encontro, acontecem debates, mesas temáticas, oficinas e apresentações culturais

Elen Carvalho |
As mulheres se reúnem para debater feminismos e atuação dentro da universidade na roda de conversa da Frente Feminista da UFBA.
DCE UFBA

A Praça das Artes, no campus Ondina, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em Salvador, já é conhecida por reunir universitários diariamente e possibilitar trocas de experiências e diálogo entre pessoas diversas. Nesta quinta (25) e sexta-feira (26), a juventude está reunida para debater e propor rumos na luta em defesa das universidades públicas e da democracia. 

Com centenas de inscritos, o Encontro de Estudantes Em Defesa da Universidade Pública da Universidade Federal da Bahia (UFBA) é organizado pelo DCE da UFBA, União Nacional dos Estudantes (UNE) e União dos Estudantes da Bahia (UEB). A programação é composta por debates, mesas temáticas, oficinas e apresentações culturais. O lema “O POVO É CHAVE, ABRAM OS PORTÕES” reafirma e atualiza a luta já travada há décadas por essa parcela da população. Na carta- manifesto, afirma-se: “indicamos que a saída desse cenário tenebroso é cada vez mais a organização coletiva dos estudantes em torno da resolução dos problemas coletivos que a Universidade nos coloca todos os dias, ou seja, a organização dos estudantes em torno de um projeto de transformação da sociedade, em que o povo organizado é a chave para construção de uma educação libertadora, de uma Universidade pública, gratuita e de qualidade, e de um Brasil justo”.

Caroline Anice, coordenadora geral do DCE da UFBA, reforça a importância e necessidade do encontro: “É um espaço que aglutina a juventude da universidade e a de esquerda para debater qual é o cenário que a gente está vivendo enquanto jovens, nosso papel na defesa de um projeto de universidade popular, de uma educação popular. O que o evento propõe é conseguir organizar a juventude da universidade pra pautar ações nos próximos tempos, para que a gente consiga está em unidade e construir uma agenda de lutas”. 

Levando em consideração a conjuntura, Elder Reis observa que o projeto está sendo reeditado por entenderem que é preciso fazer grandes mobilizações e lutas massivas na sociedade. Com o mote “UNE VOLANTE: Uma universidade chamada Brasil”, a ação começa em março e segue até junho deste ano. “Pensar a universidade pública e defendê-la é também defender o país”, conclui. 

26 de Janeiro de 201809:31

Via Brasil de Fato

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*


%d blogueiros gostam disto: