Autoridades colombianas extraditam aos EUA “Pablo Escobar” do Equador

Autoridades colombianas extraditam aos EUA “Pablo Escobar” do Equador

A Colômbia extraditou na madrugada deste sábado (24) aos Estados Unidos (EUA) o traficante Washington Prado Alava, conhecido como o “Pablo Escobar” do Equador e requerido pelas autoridades americanas por “transportar mais de 250 toneladas de cocaína” a esse país, informou a Procuradoria colombiana.

“Dada a administração do Ministério Público (MP), foi extraditado para os EUA Washington Prado Alava, que usa o pseudônimo ‘Gerard’, conhecido como ‘Pablo Escobar’ do Equador. O homem tentou se vincular às listas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para acessar a Jurisdição Especial para a Paz (JEP)”, detalhou o MP  em comunicado.

Alava foi detido em 11 de abril do ano passado junto com os seus três principais comparsas: o também equatoriano Leonardo Adrián Vera, conhecido como “Thiago”, e os colombianos Robinson Alberto Castro, conhecido como “Rocho”, e Diego Fernando Arizala, conhecido como “Zorro”.

“Gerard”, que tem “poder e capacidade de suborno muito altos”, também era procurado no Equador pelos homicídios de vários promotores, juízes e policiais.

De acordo com a Procuradoria colombiana, Alava “é considerado uns dos maiores chefes do tráfico dos últimos tempos, que se transformou em alvo importante para os EUA”.

Para evitar sua extradição, o equatoriano tentou se vincular às listas de guerrilheiros apresentados pelas Farc para se submeter à JEP, encarregada de qualificar juridicamente as condutas graves cometidas pelos atores do conflito armado sob as normas do Código Penal Colombiano, o Direito Internacional em matéria de Direitos Humanos (DIDH), o Direito Internacional Humanitário (DIH) e o Direito Penal Internacional (DPI).

“Alava, que permanecia detido na penitenciária Picota, de Bogotá, desde 12 de abril de 2017, foi escoltado por um dispositivo de segurança de 50 comandos e agentes” da Direção de Investigação Criminal e Interpol (Dijin) da Polícia, o Instituto Nacional Penitenciário e Carcerário (Inpec) e a DEA, acrescentou a nota.

*É proibida a reprodução total ou parcial desse material. Direitos Reservados

A Colômbia extraditou na madrugada deste sábado (24) aos Estados Unidos (EUA) o traficante Washington Prado Alava, conhecido como o “Pablo Escobar” do Equador e requerido pelas autoridades americanas por “transportar mais de 250 toneladas de cocaína” a esse país, informou a Procuradoria colombiana.

“Dada a administração do Ministério Público (MP), foi extraditado para os EUA Washington Prado Alava, que usa o pseudônimo ‘Gerard’, conhecido como ‘Pablo Escobar’ do Equador. O homem tentou se vincular às listas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para acessar a Jurisdição Especial para a Paz (JEP)”, detalhou o MP  em comunicado.

Alava foi detido em 11 de abril do ano passado junto com os seus três principais comparsas: o também equatoriano Leonardo Adrián Vera, conhecido como “Thiago”, e os colombianos Robinson Alberto Castro, conhecido como “Rocho”, e Diego Fernando Arizala, conhecido como “Zorro”.

“Gerard”, que tem “poder e capacidade de suborno muito altos”, também era procurado no Equador pelos homicídios de vários promotores, juízes e policiais.

De acordo com a Procuradoria colombiana, Alava “é considerado uns dos maiores chefes do tráfico dos últimos tempos, que se transformou em alvo importante para os EUA”.

Para evitar sua extradição, o equatoriano tentou se vincular às listas de guerrilheiros apresentados pelas Farc para se submeter à JEP, encarregada de qualificar juridicamente as condutas graves cometidas pelos atores do conflito armado sob as normas do Código Penal Colombiano, o Direito Internacional em matéria de Direitos Humanos (DIDH), o Direito Internacional Humanitário (DIH) e o Direito Penal Internacional (DPI).

“Alava, que permanecia detido na penitenciária Picota, de Bogotá, desde 12 de abril de 2017, foi escoltado por um dispositivo de segurança de 50 comandos e agentes” da Direção de Investigação Criminal e Interpol (Dijin) da Polícia, o Instituto Nacional Penitenciário e Carcerário (Inpec) e a DEA, acrescentou a nota.

*É proibida a reprodução total ou parcial desse material. Direitos Reservados

http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2018-02/autoridades-colombianas-extraditam-aos-eua-pablo-escobar-do-equadorVIA EBC ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*