Imigrantes comemoram Ano Novo chinês com diversas atrações em São Paulo

Imigrantes comemoram Ano Novo chinês com diversas atrações em São Paulo

 

São Paulo - Dança do Dragão na Festa do Ano Novo Chinês 2018, na Liberdade, região central da cidade (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Dança do Dragão na Festa do Ano Novo chinês 2018, na Liberdade, região central da cidadeRovena Rosa/Agência Brasil

A comemoração do Ano Novo chinês atraiu hoje (25) uma multidão ao tradicional bairro da Liberdade, que concentra grande número de imigrantes chineses e japoneses em São Paulo. O Ano Novo chinês começou em 16 de fevereiro. No horóscopo asiático, 2018 é o Ano do Cachorro, que simboliza lealdade, honestidade, fidelidade e constância.

No local, os visitantes encontraram barraquinhas onde podiam aprender como escrever seu nome em chinês, fazer artesanato e ainda apreciar a comida típica daquele país. Apresentações de lutas marciais, música e de dança, como as do Leão e do Dragão, também fizeram parte da programação durante todo o domingo.

“Já conhecia a Liberdade, mas é a primeira vez que estou na celebração. Apesar de muito cheio, achei muito interessante as apresentações. Gostei do evento”, elogiou  a gerente de recursos humanos Rose Tavares.

Pelo quarto ano seguinte na festa, a professora Ana Paula Silva disse que aprecia muito o evento.  “Gosto muito da festa. Só achei estranho este ano ser em um dia só, mas ano que vem estarei aqui de novo”.

São Paulo - Dança do Dragão na Festa do Ano Novo Chinês 2018, na Liberdade, região central da cidade (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Para os chineses,  a festa significa a manutenção de tradições e faz lembrar o país de origemRovena Rosa/Agência Brasil

Para os chineses,  a festa significa a manutenção de tradições e faz lembrar o país de origem. “Para chineses e japoneses, que têm costumes parecidos, a festa deixa a gente se sentir mais em casa”, afirmou a estudante Eva Zhang, que veio da cidade de Hunan, no interior da China e está há 3 anos em São Paulo.

Festival das Lanternas

Além da comemoração na Liberdade, em outros pontos da cidade houve comemoração para a chegada do Ano Novo chinês. No Templo Zu Lai, em Cotia, na região metropolitana de São Paulo, a celebração contou com apresentações de dança, aulas de origami e de caligrafia chinesa e barracas com comidas típicas.

No Parque Ibirapuera também teve apresentação das tradicionais danças do Leão e do Dragão, show do cantor chinês Su Yang e desfile de trajes típicos, oficinas de caligrafia e de mandarim. O Festival das Lanternas acontece no fim do dia, encerrando a comemoração. As lanternas são acesas para atrair prosperidade e boa sorte.

 

São Paulo - Dança do Dragão na Festa do Ano Novo Chinês 2018, na Liberdade, região central da cidade (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Dança do Dragão na Festa do Ano Novo chinês 2018, na Liberdade, região central da cidadeRovena Rosa/Agência Brasil

A comemoração do Ano Novo chinês atraiu hoje (25) uma multidão ao tradicional bairro da Liberdade, que concentra grande número de imigrantes chineses e japoneses em São Paulo. O Ano Novo chinês começou em 16 de fevereiro. No horóscopo asiático, 2018 é o Ano do Cachorro, que simboliza lealdade, honestidade, fidelidade e constância.

No local, os visitantes encontraram barraquinhas onde podiam aprender como escrever seu nome em chinês, fazer artesanato e ainda apreciar a comida típica daquele país. Apresentações de lutas marciais, música e de dança, como as do Leão e do Dragão, também fizeram parte da programação durante todo o domingo.

“Já conhecia a Liberdade, mas é a primeira vez que estou na celebração. Apesar de muito cheio, achei muito interessante as apresentações. Gostei do evento”, elogiou  a gerente de recursos humanos Rose Tavares.

Pelo quarto ano seguinte na festa, a professora Ana Paula Silva disse que aprecia muito o evento.  “Gosto muito da festa. Só achei estranho este ano ser em um dia só, mas ano que vem estarei aqui de novo”.

São Paulo - Dança do Dragão na Festa do Ano Novo Chinês 2018, na Liberdade, região central da cidade (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Para os chineses,  a festa significa a manutenção de tradições e faz lembrar o país de origemRovena Rosa/Agência Brasil

Para os chineses,  a festa significa a manutenção de tradições e faz lembrar o país de origem. “Para chineses e japoneses, que têm costumes parecidos, a festa deixa a gente se sentir mais em casa”, afirmou a estudante Eva Zhang, que veio da cidade de Hunan, no interior da China e está há 3 anos em São Paulo.

Festival das Lanternas

Além da comemoração na Liberdade, em outros pontos da cidade houve comemoração para a chegada do Ano Novo chinês. No Templo Zu Lai, em Cotia, na região metropolitana de São Paulo, a celebração contou com apresentações de dança, aulas de origami e de caligrafia chinesa e barracas com comidas típicas.

No Parque Ibirapuera também teve apresentação das tradicionais danças do Leão e do Dragão, show do cantor chinês Su Yang e desfile de trajes típicos, oficinas de caligrafia e de mandarim. O Festival das Lanternas acontece no fim do dia, encerrando a comemoração. As lanternas são acesas para atrair prosperidade e boa sorte.

http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-02/imigrantes-comemoram-ano-novo-chines-com-diversas-atracoes-em-sao-paulo

VIA EBC ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*