Jaques Wagner teria recebido R$ 82 milhões desviados de obras da Fonte Nova

Jaques Wagner teria recebido R$ 82 milhões desviados de obras da Fonte Nova

Brasília - O ministro-chefe do Gabinete Pessoal da Presidência da República, Jaques Wagner, participa do programa Brasilianas, da TV Brasil (Elza Fiúza/Agência Brasil)

Brasília – A residência do ex-governador Jaques Wagner foi alvo de um mandado de busca e apreensão na Operação Cartão Vermelho, que investiga desvios da obra da Arena Fonte NovaElza Fiúza/Agência Brasil

A Superintendência da Polícia Federal na Bahia informou que o ex-governador da Bahia Jaques Wagner teria recebido R$ 82 milhões dos cerca de R$ 450 milhões que teriam sido desviados de obras do estádio Arena Fonte Nova. Na manhã de hoje (26), policiais federais cumpriram sete mandados de busca e apreensão no âmbitio da Operação Cartão Vermelho. Um deles foi na residência do ex-governador.

Os mandados foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TFR1), com o objetivo de localizar e apreender “provas complementares dos desvios nas contratações públicas, do pagamento de propinas e da lavagem de dinheiro”.

De acordo com apurações feitas pela PF, as irregularidades beneficiaram o consórcio Fonte Nova Participações (FNP) – formado pelas empresas Odebrecht e OAS. As suspeitas apontam irregularidades em contratos envolvendo serviços de demolição, reconstrução e gestão do estádio.

Um laudo pericial da PF informa que o caso pode ter resultado em um superfaturamento que, em valores corrigidos, superaria R$ 450 milhões. Segundo a Polícia Federal, grande parte desses recursos teve como destino o pagamento de propina e financiamento de campanhas eleitorais.

O PT classificou o episódio como “invasão”, relacionando o caso ao que chama de “campanha de perseguição contra o Partido dos Trabalhadores e suas principais lideranças”. A presidente do partido, Gleisi Hoffmann (PT-PR), argumentou, em nota, que “a sociedade brasileira está cada vez mais consciente de que setores do sistema judicial abusam da autoridade para tentar criminalizar o PT e até os advogados que defendem nossas lideranças e denunciam a politização do Judiciário”.

26 26America/Sao_Paulo Fevereiro 26America/Sao_Paulo 201815:33

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário