8M: o dia de luto por todas que nos precederam

8M: o dia de luto por todas que nos precederam

coluna

Se for para ignorar nossa luta, nos faça um favor… Calem-se!

Ana Julia Ribeiro |
Camila Salmazio / Brasil de Fato

Em razão do 8M um grupo de Whatsapp que participo decidiu dar total lugar de fala a nós mulheres e deixar os homens apenas acompanhando o que rolava por ali. Esse grupo que reúne muitos amig@s e militantes se tornou durante o dia um espaço de confiança, empatia, solidariedade e força.

Por estarmos entre mulheres, que entendem uma as dores da outra, nos sentimos a vontade para desabafar e dividir o que já tínhamos passado, as agressões, os assédios, os relacionamentos abusivos, os estupros, uma infinidade de violências que somos submetidas. Tudo sem pressão nenhuma, apenas compartilhava quem se sentia à vontade.  

Ao ler os depoimentos dessas mulheres, muitas delas eu as conheço e as admiro profundamente, a emoção e dor tomaram conta. É triste saber, por exemplo,  como todas tem alguma coisa para contar, seja de quando era criança, adolescente ou adulta. Todas nós já tínhamos passado por algum momento que nos fazem sentirmos humilhadas, culpadas, fracas e descartáveis.

Hoje já conseguimos falar e nos apoiar umas nas outras. Mas, sabemos que a violência contra nós mulheres está longe de acabar. Sabemos que quando paramos para fazer os devidos recortes de raça, classe e orientação sexual, a situação se mostrará ainda mais grave. Sabemos que ainda temos muitas lutas para travar contra o machismo e o patriarcado.

Por isso que o 8 de Março não é o dia em que vocês homens terão a missão de nos desejar parabéns e rasgar elogios do que é ser mulher. Pois, todas as vezes que lemos “parabéns” no 8M o que nos soa é: 

Parabéns por serem assediadas;
Parabéns por serem estupradas;
Parabéns por não terem direitos;
Parabéns por andarem com medo na rua;
Parabéns por terem cuidado com suas roupas;
Parabéns por não saírem sozinhas;
Parabéns por não terem respeitados seus direitos reprodutivos;
Parabéns por ganharem menos do que eu estando no mesmo cargo;
Parabéns por terem sozinha a responsabilidade de criar e educar o filho;
Parabéns por estarem em relacionamento abusivo;
Etc…  

Ser mulher não é um mar de rosas e muito menos tem que ser romantizado ou divinizado. Nossas dores e nossas lutas são reais. Hoje o dia é de luto por todas que nos precederam, que foram mortas pelo feminicídio e pelas que morreram para garantirem os direitos que temos. Mas, também é dia do verbo luto, pois ainda temos muita luta pela ampliação e garantia dos nossos direitos e das meninas e mulheres que vão nos suceder.

Ainda temos muita luta para que não se repita casos como o da Maria da Penha, da menina Eloá,  da Dandara e tantas outras. Não nos de os parabéns por que hoje não é um dia de felicidade é um dia em que expressamos nossa luta e resistência.  
  
Nas entrelinhas das mensagens de felicitações que vocês, homens, nos mandam, sem mencionar uma linha sobre nossas lutas, o que realmente está escrito é: “Parabéns, desde que não invente de ser feminista e lutar por seus direitos”.  

E se for para ficar nesta mesmice ignorando nossa luta, nos faça um favor… Cale a boca! 

Desejo um 8M de muita luta para todas nós mulheres, em nossas mais diversas situações, delimitações e opressões.

8 08America/Sao_Paulo Março 08America/Sao_Paulo 201823:15

Via Brasil de Fato

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*


%d blogueiros gostam disto: