MST, MAB e famílias dos acampamentos despejadas pelo estado do Pará recebem homenagem

MST, MAB e famílias dos acampamentos despejadas pelo estado do Pará recebem homenagem

Reconhecimento

A rede de comunicação popular Brasil de Fato também receberá a medalha Paulo Frota de direitos humanos

Redação |
A Comenda Paulo Frota homenageia personalidades e organizações não governamentais que tenham se destacado em defesa dos direitos humanos
Júlia Dolce

Em reconhecimento por ações, condutas ou atividades de promoção ou defesa dos direitos humanos; personalidades, lideranças comunitárias e organizações não governamentais recebem na quinta-feira (5) em Belém durante sessão solene na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) a Medalha de Direitos Humanos Paulo Frota.

Entre os homenageados estão o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o Movimento de Atingidos por Barragens (MAB) e a rede de comunicação popular Brasil de Fato.

As famílias dos acampamentos Hugo Chávez, Dalcídio Jurandir, Helenira Rezende e Frei Henri encravados nas terras dos Carajás, sudeste do estado, região marcada pela violência no campo de camponeses que lutam pela democratização da terra, também serão agraciados com a entrega da medalha.

Em 2017, faltando poucos dias para o natal, as famílias dos três primeiros acampamentos foram despejadas por determinação da justiça, ao longo do ano o Brasil de Fato noticiou diversos ataques de pretensos proprietários com bombas e tiros contra os acampamentos. O episódio foi classificado como uma grande violação do estado contra homens, mulheres e crianças. 

Ao todo serão 66 personalidades, entidades e organizações que receberam a comenda, entre eles estão o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Castanhal, Santa Luzia e Ulianópolis; a Comissão Pastoral da Terra (CPT) e as comunidades quilombolas de Jambuaçu, situado em Moju, e Abacatal, este localizado em Ananindeua, município que faz parte da região metropolitana de Belém.

Entre as personalidades a professora e pesquisadora Zélia Amador, uma das fundadoras do Centro de Estudos e Defesa do Negro no Pará; e o professor e advogado Girolamo Domenico Treccani, foi coordenador na Clínica de Direitos Humanos da Amazônia da Universidade Federal do Estado e referência sobre direito agrário.

A Comenda Paulo Frota foi estabelecida pelo Poder Legislativo para homenagear aqueles que tenham se destacado em defesa dos direitos humanos em território paraense. Paulo Frota foi juiz da Infância e da Juventude em Belém, falecido em 1991, aos 52 anos. Ele foi proeminente na luta pela implantação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
 

4 de Abril de 201809:45

Via Brasil de Fato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *