Mulheres de Curitiba se reúnem pela descriminalização do aborto

Mulheres de Curitiba se reúnem pela descriminalização do aborto

Nesta sexta-feira

Ato nacional, acompanha e pressiona a audiência pública sobre o tema que acontece entre 3 a 6 de agosto

Redação |
População está convidada a acompanhar a audiência pública transmitida ao vivo, das 8h30 às 18h, no TeUNI, da UFPR
Gabriela Buarque de Hollanda

A cada dois dias, uma mulher morre no Brasil por causa do aborto ilegal. O fato é que a criminalização não impede a mulher de abortar, apenas faz com que elas se submetam a procedimentos arriscados e, nesse contexto, as mulheres pobres e pretas são as mais atingidas.

Diante dessa realidade, de 3 a 6 de agosto, acontece no Brasil a audiência pública para discutir a descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação. A ação pela vida das mulheres, foi protocolada no ano passado no Supremo Tribunal Federal (STF) e pede que não seja crime o aborto até 12 semanas de gestação – em qualquer situação. Para acompanhar e pressionar, feministas de todo o Brasil organizaram o Festival “Nem morta, nem presa por aborto. Pela vida das mulheres”.

“São os direitos das mulheres à liberdade, à dignidade, ao planejamento familiar, à cidadania e o de não ser torturada, presentes na Constituição de 1988, que estão sendo negados pela criminalização do aborto imposta pelo Código Penal, escrito em 1940”, registra a organização do evento.

Em Curitiba

Entendendo a oportunidade também como um bom espaço de refletir sobre a problemática com a seriedade necessária e de dialogar com a população a este respeito, a Frente Feminista de Curitiba está fazendo a transmissão ao vivo da audiência pública, das 8h30 às 18h, no TeUNI, da Universidade Federal do Paraná, na Praça Santos Andrade. A partir das 18h, será realizado um Ato pela Descriminalização do Aborto e pela Vida das Mulheres em frente ao prédio histórico da UFPR.

O ato terá a presença de Taysa Schiocchet, Professora da Faculdade de Direito da UFPR, pesquisadora do tema do aborto legal e coordenadora da Clínica de Direitos Humanos da UFPR; Letícia Kreuz – Doutoranda em Direito na UFPR, pesquisadora da temática sobre direitos sexuais e reprodutivos; Nicolle Schio – Médica pediatra; Valéria Fiori, Militante da Resistência/ PSOL, participou das mobilizações pelo aborto legal na Argentina; Alaerte Martins – Doutora em Saúde Pública, membro da Rede Feminista de Saúde; mulheres que fomentam o debate do aborto legal e seguro em Curitiba

?
?

3 de agosto de 201809:30

Via Brasil de Fato

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Hits: 6

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário