“Facção dos abestado, vou mandar vocês tudim pra presídio federal”, avisa Ciro Gomes

“Facção dos abestado, vou mandar vocês tudim pra presídio federal”, avisa Ciro Gomes

Ciro Gomes

Ciro Gomes cita facções em lançamento de campanha em Fortaleza. (FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

No lançamento oficial da campanha à Presidência da República no Ceará, o candidato Ciro Gomes (PDT) foi incisivo no que diz respeito ao combate à violência. Diante dos aliados, no sábado (18), em Fortaleza, o candidato citou as maiores facções do país e do estado e disse que enviaria seus integrantes para presídios federais.

“Não adianta imaginar. Isso tem que ter um presidente da República que não tenha medo de dizer em alto e bom som: ‘Atenção PCC, atenção Comando Vermelho, atenção facção dos abestados daqui, que chamam GDE, eu chegando à Presidência da República vai tudinho pra presídio federal (…). Vocês escolheram o povo errado’”, disse o candidato, sob aplausos dos apoiadores.

Se até 2016 o Governo do Estado não reconhecia a existência de facções no Ceará, agora um candidato a presidente com origem no Ceará fala o nome das organizações criminosas nominalmente. O vídeo viralizou em redes sociais nesta terça-feira (21).

No palanque, além de Ciro Gomes, estavam o irmão Cid, candidato ao Senado também pelo PDT, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e Camilo Santana (PT), que tenta a reeleição para governador do Ceará.

Violência sem controle

No governo de Camilo Santana, os números da violência chamam atenção. Com o crescimento da atuação das facções no Ceará, a insegurança ficou mais evidente para a população, principalmente em números. Só em julho, por exemplo, o estado registrou um homicídio a cada duas horas, de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

De janeiro a julho, o Ceará já registra um total de 2.758 assassinatos, sendo 47 pessoas vítimas de sete chacinas. A marca é ligeiramente inferior aos sete primeiros meses de 2017, ano em que a violência foi recorde no estado, quando houve 2.773 casos.

A violência no Ceará teve um grande crescimento no número de homicídios nos últimos 20 anos, sobretudo nos oito anos de governo de Cid e nos três e meio de Camilo. O aumento de 1998 a 2017 foi de 545%, subindo de 941 assassinatos para 5.134.

O número registrado no ano passado foi o maior na história. A escaladada de violência supera e muito o crescimento populacional do Ceará, que saltou de 7 milhões para 9 milhões no período – aumento de 28%.

Tribuna do Ceará21 de agosto de 201811:31Publicado primeiro em TRIBUNA DO CEARÁ

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Hits: 4

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário