“Quadro nacional de feminicídio é inaceitável”, critica Marina Silva, prometendo mais proteção

“Quadro nacional de feminicídio é inaceitável”, critica Marina Silva, prometendo mais proteção

Marina Silva candidata na presidência

Na manhã desta terça-feira (21), Marina Silva visitou o Sistema Jangadeiro e falou sobre suas propostas de governo (Foto: Reprodução/TV Jangadeiro)

Ações de combate à violência e assistência à mulher são uma das proposta da candidata Marina Silva (Rede) caso seja eleita presidente do País. Durante visita ao Sistema Jangadeiro na manhã desta terça-feira (21), Marina garantiu a implementação de uma rede de proteção à mulher em situação de risco, criação de creches integrais e investimentos no empreendedorismo. Na área da segurança, prevê a criação de um sistema nacional de segurança pública em parceria com estados.

No Brasil, foram registrados 1.133 casos de feminicídios em 2017, segundo o levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O Ceará, por sua vez, é o único estado do País a não contabilizar esse tipo de crime. Na perspectiva de Marina, o quadro nacional é inaceitável. “A maioria dessas mulheres é negra. É uma situação inaceitável. O meu compromisso é de implementar centros de acolhimento, ampliar cada vez mais as delegacias de combate à violência contra a mulher “, destacou a candidata.

Além de medidas protetivas, a presidenciável também prevê financiamentos para que as mulheres possam investir em seus negócios, garantindo a sua autonomia, e criar um sistema de creches de tempo integral. “Combater os preconceitos e na formação das pessoas. É necessário que haja uma mudança cultural”, acrescenta.

Por outro lado, a falta de dados no Ceará implica na elaboração de estratégias de combate ao feminicídio. Neste mês de agosto, o levantamento feito pelo Fórum Brasileiro Nacional de Segurança mostrou que o Ceará é o único estado do País a não contabilizar crimes dessa categoria nos últimos dois anos. Dos 553 casos de homicídios de mulheres, 71 não foram reconhecidos como feminicídio pela Secretaria de Segurança Pública do Ceará (SSPDS), de acordo com dados do  Ministério Público do Ceará (MP-CE).

Confira outros pontos da entrevista da candidata à presidência Marina Silva concedida ao Sistema Jangadeiro. 

Combate às facções criminosas

“Implementando um sistema nacional de segurança pública, ajudando os governos dos estados a resolver esse problema que está fora de controle. Até o meu estado, o Acre, tem as as mesmas organizações que tem São Paulo e Rio de Janeiro. Ajudar os governos os estados na elaboração dos planos de segurança pública, independente de partido e independente de governo. Tem projeto bom? Vai contar com o meu apoio”, frisou Marina.

Mudar o Brasil

“O meu compromisso é de mudar o Brasil para que a corrupção seja combatida com todos os meios que dispomos. O compromisso de que a gente vai trabalhar muito para recuperar os empregos dos brasileiros. Eu quero ficar com aqueles que têm compromisso em não sabotar a Lava Jato. A Lava Jato foi uma das melhoras coisas desse País desde a redemocratização. Em função da Lava Jato, os eleitores saberão quem desviou o dinheiro público. Quem foi corrompido e que se corrompeu”, destaca Marina Silva.

Aliança com o povo

“Eu quero ganhar com a ajuda da população e não com as custas do Centrão. Eu faço aliança com o partido Verde, com a sociedade brasileira e com movimentos de renovação com a política. Eu não vou dialogar com aqueles que têm identidade programática. Eu quero ficar com aqueles que têm compromisso em não sabotar a lava jato”, ressalta.

Daniel Rocha21 de agosto de 201814:31Publicado primeiro em TRIBUNA DO CEARÁ

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Hits: 18

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário