“As facções estão ditando regras”, desabafa diretor da associação de policiais do Ceará

“As facções estão ditando regras”, desabafa diretor da associação de policiais do Ceará

Polícia Militar em referência a "O que os policiais estão fazendo é tirar sua vida social", comenta sargento da Polícia Militar

Três policiais militares foram assassinados na tarde de quinta-feira (23), em Fortaleza (FOTO: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

O sargento Marcos de Sousa, diretor de comunicação da Associação de Praças da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (Aspramece), lamentou a morte dos colegas de profissão na tarde de quinta-feira (23).

O militar expressou desânimo e preocupação com o atual momento do Estado. “As facções estão ditando regras“.

De acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Ceará é o estado com maior número de policiais mortos por bandidos no Nordeste.

O sargento comenta que a falta de investigação especializada faz com que os policiais se sintam ameaçados. “Quando eles (criminosos) se sentem ameaçados e coibidos pelos policiais, aproveitam o momento de lazer e descontração dos servidores de segurança para cometer crimes“.

Os agentes de segurança estão restringindo suas vidas sociais como medida protetiva. “O que os policiais estão fazendo é tirar sua vida social. Caminhar em uma praça, avenida ou andar de bicicleta já não existe mais. Você está na ponta e o poder público não dá nenhuma resposta”.

Queda nos números 

De acordo com o sargento, a queda dos números de morte de policiais em 2018 (quando comparado com o ano de 2017) tem relação com o aumento do valor da hora extra, o chamado ISO. “O Governo do Estado aumentou a hora extra do policial. Ele não se sentia atraído de buscar essa hora extra dentro da polícia. Eles iam para os bicos, trabalhar em postos de gasolina e farmácias. Ficavam mais expostos a reagir a um assalto”. De acordo com o sargento, o valor da hora extra era em média R$ 6.

A equipe do Tribuna do Ceará entrou em contato com a Policia Militar para saber o atual valor da hora extra dos agentes, mas não houve retorno até a publicação desta matéria. Pela contagem do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 51 agentes de segurança foram assassinados em todo o Estado entre 2016 e 2017. As principais vítimas são policiais militares, que correspondem a 94% dos homicídios.

Entenda o caso

Três policiais foram assassinados na tarde desta quinta-feira (23), na Vila Manuel Sátiro, em Fortaleza. Um dos militares estava de folga, os outros dois eram aposentados. O crime aconteceu em um bar, na Rua São Manuel.

Os criminosos chegaram ao local em um carro, efetuando vários disparos contra os militares. As vítimas foram identificadas como sargento José Augusto de Lima (58 anos), tenente Antonio Cezar Oliveira Gomes (50) e o subtenente Sanderley Cavalcante Sampaio (46), sendo somente o subtenente do serviço ativo.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSPDS) informou os criminosos chegaram ao local em um veículo, modelo Voyage, de cor preta, e efetuaram disparos na direção das vítimas, que foram atingidas e vieram a óbito no local.

Tribuna do Ceará25 de agosto de 201807:16Publicado primeiro em TRIBUNA DO CEARÁ

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Hits: 11

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário