“É hora é hora, camará”: homenagem a mestre Moa em BH

“É hora é hora, camará”: homenagem a mestre Moa em BH

Respeito

Integrantes da cultura afro brasileira e apoiadores se reuniram para uma grande roda de capoeira

Rafaella Dotta |
Para os integrantes do ato, era objetivo de vida do Mestre Moa transmitir a paz e a alegria
Foto: Carina Castro

A Praça Sete de Belo Horizonte virou palco, na quinta (11), de uma bonita homenagem a Mestre Moa do Katende, que foi assassinado no domingo (7) por um eleitor do Bolsonaro. Diversos berimbaus dividiram lugar com falas e cartazes: “parem de nos matar” e “Quanto vale a vida de um preto pra você?”.

“Canarinho da Alemanha que matou meu curió…”

Mestre Velho Reginaldo, que era próximo de mestre Moa, diz que a “ficha ainda não caiu” sobre perder uma pessoa com tamanho conhecimento e potenciais. “O Moa tinha absoluta clareza do potencial que a cultura e o país podem trazer para todo mundo. Está tudo feito para dar certo e ser bonito. Ainda mais no país que a gente vive. Interesses escusos é que vão criando as dificuldades”, afirmou o mestre.

Várias pessoas proclamaram também a paz. Para os integrantes do ato, era objetivo de vida do Mestre Moa transmitir a paz e a alegria. “Tudo que o Moa queria era que a gente vivesse em harmonia e paz e é isso que nós estamos buscando”, completou Mestre Velho Reginaldo. Disse ainda, que em respeito à memória e respeito a Moa, os capoeiristas e integrantes da cultura afro brasileira tem que se posicionar frente à eleição.

Crescimento da violência

Macaé Evaristo, ex-secretária de Educação do governo de Minas Gerais, compareceu ao ato e falou sobre a onda de violência que ronda as eleições presidenciáveis. Ela, como mãe, disse se preocupar com pessoas LSGT, jovens negros e mulheres ativistas que estão sendo atacadas nas ruas. “Nessa semana nós, mães, temos passado por angústia. Nós queremos vocês vivos chegando em casa todas as noites”, disse Macaé, sugerindo que os jovens tenham cuidado com sua segurança.

Um mapeamento inédito realizado pela Agência Pública em parceria com a Open Knowledge Brasil, revelou que foram pelo menos 70 ataques com motivação política nos últimos 10 dias no país. A grande maioria, 50 deles, foram cometidos por eleitores de Jair Bolsonaro, e 33 deles ocorreram na região sudeste do país. O relatório pode ser acessado no site Vítimas da Intolerância.

15 de October de 201814:09

Via Brasil de Fato

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Hits: 14

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário