Conheça relatos de fé e de graça que movem fiéis ao Evangelizar é Preciso

Conheça relatos de fé e de graça que movem fiéis ao Evangelizar é Preciso

Dirlene Melo (à dir.) foi acompanhada de uma amiga ao Evangelizar é Preciso. (Foto: Jéssica Welma / Tribuna do Ceará)

Dirlene Melo (à dir.) foi acompanhada de uma amiga ao Evangelizar é Preciso. (Foto: Jéssica Welma / Tribuna do Ceará)

O sol quente do meio-dia da Capital não deixava esfriar a empolgação dos fiéis que chegaram cedo ao 11° Evangelizar é Preciso Fortaleza com o Padre Reginaldo Manzotti, neste sábado (20). O Tribuna do Ceará ouviu relatos de fé e de graças alcançadas que movem pessoas de diferentes lugares a se reunirem em nome de Deus.

A edição 2018 do Evangelizar é Preciso acontece na Praia de Iracema, em Fortaleza, e segue até as 21h30 deste sábado (20). Neste ano, o tema é “As muralhas vão cair“, com o lema “Coragem! É o Senhor Teu Deus que marcha à sua frente (DT 31,6)”.

A aposentada Maria Iraci Alves Bezerra, do bairro Conjunto Ceará, já derrubou muitas muralhas e, pela primeira vez, pode participar do encontro ao vivo com o Padre Reginaldo Manzotti. Com ele, ouvindo sua voz no rádio, a idosa rezou muitas vezes por sua saúde.

Aos 68 anos, ela já teve três acidentes vasculares cerebrais (AVC), passou por procedimentos no coração e venceu um câncer no rim. “Vim agradecer por estar viva”, conta.

Em área reservada para pessoas com mobilidade reduzida, a aposentada Dirlene Melo, de 69 anos, também agradecia pela saúde, a sua e a de um neto de 4 anos de idade. “Às duas horas da manhã eu estava pedindo a Deus a graça para meu neto que estava muito doente do intestino”, relembra.

Moradora de Fortaleza, ele atrela às orações junto ao Padre o resultado das bençãos alcançadas. “Meu marido disse que achava que ia perder a mulher para um ator famoso, mas perdeu para um padre”, brinca, ao lado de uma amiga que segura um guarda-sol para protegê-las do calor.






Dirlene Melo (à dir.) foi acompanhada de uma amiga ao Evangelizar é Preciso. (Foto: Jéssica Welma / Tribuna do Ceará)

Longa distância

Desde as 3 horas da madrugada no aterro da Praia de Iracema, a costureira Evânia da Silva Morais, de 47 anos, não perdeu um Evangelizar desde a primeira edição. Mesmo morando em Fortaleza, chegou cedo para garantir um lugar bom para assistir ao evento. “O Padre (Reginaldo Manzotti) transmite paz, é um grande professor espiritual”, pontua.

A professora Maria Edinilza Ferreira, de 50 anos, desceu a serra de Pacoti na madrugada para ver o Padre pessoalmente. “Sempre alcanço as graças que peço, venho sempre”, garante.

O Aterro da Praia de Iracema, antes de o evento começar, vira um mar de guarda-sois e tendas coloridas: vale tudo para se proteger do sol.

Protegidas, Francineide Nascimento, de 16 anos, e sua mãe estavam em um grupo de 10 pessoas que saiu de Sobral, na Região Norte, às 23 horas e chegou à Fortaleza por volta das 3 horas da madrugada. É o terceiro ano em que elas participam do Evangelizar.

“Ouço os testemunhos e penso que, vir fazer uma penitência dessa, você sabendo que tanta gente já conseguiu, é uma benção muito grande”, diz a mãe.

Jéssica Welma20 de October de 201814:11Publicado primeiro em TRIBUNA DO CEARÁ

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Hits: 17

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário