Fazendeiros tumultuam inspeção da OEA e agridem indígenas no Pará

Fazendeiros tumultuam inspeção da OEA e agridem indígenas no Pará

Covardia

Produtores de soja tentaram barrar o encontro entre indígenas e membros da comissão de Direitos Humanos

Juca Guimarães |
Grupo de fazendeiros agiu com truculência e tentou coagir ativistas
Reprodução de vídeo

Um grupo de latifundiários produtores de soja tentou barrar um encontro entre ativistas os membros da comissão dos Direitos Humanos da OEA (Organização dos Estados Americanos), nesta quinta-feira (dia 8), em Santarém, no Pará. Um deles agrediu uma ativista da organização indígena regional Conselho Indígena Tapajós e Arapiuns (CITA).

A comitiva, que está no Brasil a convite do governo federal, foi seguida até o território indígena do Açaizal, localizado no Planalto santareno, por duas caminhonetes que transportavam produtores de soja conhecidos na região. Na chegada ao território indígena, os ocupantes das caminhonetes insistiram em participar da reunião, agendada apenas com as lideranças indígenas.

De acordo com os participantes do encontro, os fazendeiros foram grosseiros e fizeram várias afirmações racistas. Por conta da truculência e do tom de ameaças dos latifundiários, uma das ativistas começou a filmar a cena. Um dos fazendeiros flagrados no vídeo se chama Rodrigo. Um outro fazendeiro, de camisa branca, dá um tapa na mão da ativista e derruba o celular dela.

O Comitê Brasileiro de Defensoras e Defensores de Direitos Humanos (CBDDH) divulgou uma nota denunciando a ação violenta dos fazendeiros

Segundo a nota, os fazendeiros  tentaram identificar as placas dos carros, veículos e vans que levaram os participantes da reunião até o território indígena, em uma atitude clara de intimidação.

O Brasil de Fato entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública do Pará para saber quais medidas seriam tomadas contra os fazendeiros, porém, o órgão não respondeu.

9 de November de 201815:21

Via Brasil de Fato

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Hits: 14

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário