Em Queimados (RJ), iniciativa promove curso para desenvolver bicicletas de bambu

BRASIL

Em Queimados (RJ), iniciativa promove curso para desenvolver bicicletas de bambu

MOBILIDADE

Ao todo serão oferecidas 12 vagas gratuitas para moradores do município

Jaqueline Deister |
Carlos Leandro Oliveira com a sua bicicleta de bambu durante um evento no Rio
Arquivo pessoal

As bicicletas estão cada vez mais presentes nas cidades brasileiras. Uma forma encontrada para incentivar ainda mais o uso das magrelas nas capitais é o uso das bikes compartilhadas. No Rio de Janeiro, as famosas “laranjinhas” fazem parte do sistema de bicicletas públicas implantado pela prefeitura em parceria com um banco privado. Hoje a iniciativa conta com mais de 2.600 bikes espalhadas em 260 estações do município.

Porém, as facilidades do compartilhamento de bicicletas dificilmente são encontradas fora das capitais. No município de Queimados, na Baixada Fluminense, um projeto proposto pelo coletivo Pedala Queimados promete mudar o cotidiano dos moradores que vivem, principalmente, na periferia.

Carlos Leandro de Oliveira é o idealizador do coletivo que propõe uma transformação na realidade social do município através do projeto “Pedalando para o Futuro”, que foi contemplado pelo Fundo Socioambiental Casa. A iniciativa vai oferecer capacitação de reparos de bicicletas, educação no trânsito e criará um sistema de compartilhamento de bikes para os cerca de 10 mil moradores do Conjunto Habitacional Valdariosa, do programa Minha Casa Minha Vida, localizado em uma área com alto índice de violência.

Bicicletas de bambu

A ideia chamou a atenção da Embaixada holandesa no Brasil que destinou uma verba para apoiar o projeto. A chegada de um novo apoiador possibilitou ousar ainda mais o “Pedalando para o Futuro” promovendo um curso para construir bicicletas com quadros de bambu. Oliveira explica que além de possibilitar um novo campo de trabalho para os participantes do curso, a longo prazo, o projeto pode colocar o município de Queimados como pioneiro em iniciativas que aliam mobilidade ativa e sustentabilidade.

“Você consegue colocar essas pessoas com capacitação, mais uma profissão e gera um protagonismo para uma cidade que hoje é conhecida com a mais violenta do país e, com isso, ela pode passar a ser referência na produção em larga escala de bicicletas de bambu e, ao longo do tempo, nos tornaremos a primeira cidade do mundo a ter bicicletas compartilhadas de bambu. Isso muda a referência da cidade de forma negativa para positiva”, destaca o idealizador. 

O curso será ministrado pelo artesão bambuzeiro Klaus Volkmann responsável pela Art Bike Bamboo, entre 19 e 27 de janeiro, na cidade de Queimados. A empresa, sediada em Porto Alegre, realiza projetos personalizados de bicicletas de bambu para os amantes das magrelas. Volkmann se tornou mais conhecido depois que o cicloviajante Ricardo Martins iniciou uma jornada de dar a volta ao mundo em uma bicicleta de bambu.

Martins, que hoje segue em viagem rumo à Ásia, é um dos incentivadores do “Pedalando para o Futuro”. Após uma rápida passagem pelo Brasil neste ano, o aventureiro doou para Oliveira o quadro de bambu da sua primeira bicicleta do gênero apelidada de Dulcineia.

“A bicicleta de bambu provou a sua resistência com a volta ao mundo e por ser única ela chama a atenção, o Ricardo fala que a bicicleta abre portas pra ele e aqui no Rio a Dulce tem feito isso, eu já fui para São Paulo com ela, para Rio das Ostras, e ela chama a atenção. E por ser única, dificulta a questão de furto, pois é fácil de identificar, nenhuma bicicleta de bambu é igual a outra, cada uma tem as suas particularidades”, conta Oliveira.

O curso será oferecido gratuitamente para os moradores de Queimados. Ao todo, são oferecidas 16 vagas, sendo que 12 já estão parcialmente preenchidas para a população local e quatro destinadas para o público de fora da cidade. Porém, aqueles que são de outros municípios precisarão arcar com as despesas das aulas que estão com o preço promocional de R$ 1 mil até o dia 15 de dezembro. O cicloativista explica que é um curso de formação e toda a verba recebida será para o custeio do projeto.

“A nossa necessidade hoje é vendermos quatro vagas para que possamos pagar parte dos custos, não queremos cobrar da galera de Queimados”, afirma.

Enquanto o sonho de compartilhamento de bicicletas de bambu ainda não virou realidade, Oliveira tem feito uma campanha para recolher bikes que estão abandonadas ou em desuso para o “Pedalando para o Futuro”. Para doar, basta contatar Carlos Leandro Oliveira pelo telefone (21) 964798428 ou pelo Facebook Carlos Green Bike. O projeto se encarrega de fazer a retirada da bicicleta na residência dos doadores.

Serviço:

Workshop de Bikes de Bambu 

Quando:  
19 a 27 de janeiro de 2019

Onde: 
Rua Alcindo Bulhões Paes, 415, na cidade de Queimados.

Preço: 
Até o dia 15/12: R$ 1 mil parcelado em até 12 vezes.
Após o dia 15/12: R$ 1,2 mil parcelado em até 12 vezes.

Dúvidas e inscrição: 
pedalaqueimados@gmail.com ou (21)-964798428
 

14 de dezembro de 201817:33

Via Brasil de Fato

Hits: 24

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *