Polícia constata que caminhoneiro que atropelou e matou mulher dirigia alcoolizado

Compartilhe
Compartilhe
Share On Google Plus
Compartilhe
Contate-nos

Polícia constata que caminhoneiro que atropelou e matou mulher dirigia alcoolizado

O caminhão está apreendido após o grave acidente (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

O caminhão está apreendido após o grave acidente (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

O motorista Fernando Aparecido Delfino, acusado de jogar o caminhão, atropelar e matar a jovem Andreza de 20 anos, dirigia alcoolizado. A confirmação do fato aconteceu na tarde da última segunda-feira (9), através de exame etílico realizado pela Perícia Forense.

O grave acidente aconteceu no último sábado (7), na rua Estevão Alves, no Bairro Pajuçara, município de Maracanaú, Região Metropolitana de Fortaleza. Além da vítima fatal, Josan Johnata Paixão que pilotava a moto ficou bastante ferido.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), o caminhoneiro que é de São Paulo foi indiciado por homicídio doloso consumado e tentado, além de embriaguez ao volante. A Polícia Civil investiga as circunstâncias do crime.

O caso

De acordo com a Polícia, o homem que estava conduzindo o caminhão teve uma discussão com Josan Johnata Paixão, que estava em uma motocicleta. Em uma das ruas do bairro, o caminhoneiro tentou colidir, mas o piloto da moto conseguiu desviar.

Porém, em um segundo momento, o caminhoneiro acelerou e bateu forte contra a motocicleta. O condutor ficou bastante ferido com a queda. Andreza da Silva Barros, que estava na garupa da moto, foi mais atingida e morreu no local.

Ainda muito ferido e abalado, em entrevista ao programa Barra Pesada da TV Jangadeiro/SBT, o jovem que estava conduzindo a moto afirmou que o caminhoneiro jogou o veículo por cima dos dois e ainda retornou passando com o caminhão por cima de Andreza. “Quando ela percebeu que o caminhão se aproximava em alta velocidade, ela gritou e puxei a direção para desviar do caminhão, mas ele jogou o caminhão por cima de nós”, relata.

A vítima disse que não existiu discussão, fechada de trânsito e nada que despertasse a fúria do motorista. O temor de Josan Johnata é que ele seja liberado, pois ele mora em São Paulo.

Lyvia Rochahttp://tribunadoceara.uol.com.br/noticias/segurancapublica/policia-constata-que-caminhoneiro-que-atropelou-e-matou-mulher-dirigia-alcoolizado/

Deixe um comentário