Trio acusado de matar policial em assalto a ônibus é condenado a 24 anos de prisão

Compartilhe
Compartilhe
Share On Google Plus
Compartilhe
Contate-nos

Trio acusado de matar policial em assalto a ônibus é condenado a 24 anos de prisão

O policial morreu dois dias depois levar dois tiros quando tentava tomar a arma de um dos criminosos (FOTO: Arquivo Pessoal)

Três acusados de matar o policial militar José Eudes da Silva Monte foram condenados, em primeira instância, a 24 anos de prisão cada, conforme publicado no Diário Oficial da Justiça do último dia 3 de outubro.

O crime aconteceu em 26 de janeiro de 2016, durante assalto a um ônibus, no bairro Conjunto Ceará, em Fortaleza.

Cristian Nilton Nascimento da Silva cumprirá 24 anos e nove meses, enquanto Raquel Rodrigues Lima e Rogério dos Santos Rocha, 24. Todos eles confessam os crimes. A decisão da 13ª Vara Criminal de Fortaleza indica que os três cumpriram pena inicialmente em regime fechado, sem direito a apelar em liberdade.

O trio foram condenado por latrocínio e tentativas de roubo duplamente majorado (por uso de arma e concurso de agentes). O Ministério Público ainda defendia a condenação dos indivíduos por associação criminosa.

Ao todo, quatro pessoas participaram do assalto que vitimou o PM, conforme apuração policial. Rogério, Raquel e Cristian anunciaram o assalto ao ônibus. José Eudes reagiu, tentando tomar o revólver que Cristian empunhava. Este, no entanto, conseguiu disparar duas vezes contra o policial. O sargento viria a morrer dois dias depois, no Instituto Dr. José Frota (IJF). Ele estava há 23 anos na corporação.

Na fuga, o trio recebeu apoio de Raimundo Nonato de Sousa Barroso, que seguia o ônibus em um carro. No processo, Raimundo Nonato disse que apenas tinha sido chamado para fazer uma corrida de táxi para eles. Ele foi condenado a três meses e 22 dias de prisão por favorecimento pessoal, artigo 348 do Código Penal. A acusação de roubo e associação criminosa, sustentada pelo MP, foram rejeitas pela juíza Jacinta Inamar Franco Mota Queiroz.

“Entendo que não restou comprovado o liame subjetivo entre Raimundo Nonato de Sousa Barroso e os demais acusados, motivo pelo qual o mesmo deve ser absolvido”, justificou na decisão.

Relembre o caso

28 de janeiro de 2016 — Morte de PM após assalto a ônibus em Fortaleza já é a 3ª de policiais em 2016 no Ceará

27 de janeiro de 2016 — Policial militar é baleado ao reagir em assalto a ônibus em Fortaleza

Lucas Barbosahttp://tribunadoceara.uol.com.br/noticias/segurancapublica/trio-acusado-de-matar-policial-em-assalto-a-onibus-e-condenado-a-24-anos-de-prisao/

Deixe um comentário