MP denuncia piloto e outros dois suspeitos pelo assassinato de líderes do PCC

MP denuncia piloto e outros dois suspeitos pelo assassinato de líderes do PCC

Gegê do Mangue em referência a Mais três suspeitos de envolvimento na morte de líderes do PCC são denunciados por homicídio qualificado

Um suspeito está preso e outros dois estão foragidos, mas com prisão decretada (FOTO: SAP/Divulgação)

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) denunciou outros três suspeitos de envolvimento na morte dos líderes do PCC, Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca, por homicídio qualificado. A nova denúncia foi protocolada na tarde desta terça-feira (16), na 1ª Vara da Comarca de Aquiraz.

O piloto do helicóptero, Felipe Ramos Morais, que transportou as vítimas ao local do assassinato está preso. Já Jefte Ferreira dos Santos e Maria Jussara da Conceição Ferreira estão foragidos com prisão decretada.

Segundo o MPCE, tanto as vítimas quanto os acusados tinha envolvimento no assassinato e integravam a organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) ou com ela mantinha uma relação. O trio teve participação decisiva e fundamental para a prática do duplo homicídio, não de forma direta, mas através de logística e transporte de executores. “Atos atípicos de uma organização criminosa do porte do PCC, em que cada integrante tem papel definido e tarefa singular na prática de condutas criminosas”.

O trio integrava o núcleo do PCC dirigido pelo falecido Wagner Ferreira da Silva, vulgo “Cabelo Duro”, indivíduo que foi responsável pelo comando da execução das vítimas. Para o Felipe, cabia a função de transportar drogas, armas e dinheiro para o grupo criminosos, bem como fazer os deslocamentos dos integrantes da organização.

Já Jussara e Jefte, mão e filho, administravam a logística dos negócios escusos de Wagner e seu comparsa, efetuando pagamentos, fazendo reservas de hotéis e outras atividades de apoio ao grupo criminosos.

Os três acusados já haviam sido denunciados pelo MPCE por organização criminosa armada. Felipe também já responde pela prática do delito de falsificação de documento público. O crime aconteceu no dia 15 de ferreiro na localidade de Lagoa Encantada, em Aquiraz. As vítimas foram assassinadas por disparos de pistola 9 mm, após terem sido conduzidas ao local da execução em um helicóptero.

Tribuna do Ceará16 de October de 201819:10Publicado primeiro em TRIBUNA DO CEARÁ

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*