Carreata pró-Bolsonaro em Fortaleza tem referência à “caixa 2” e “Lula tá preso, babaca”

GERAL

Carreata pró-Bolsonaro em Fortaleza tem referência à “caixa 2” e “Lula tá preso, babaca”

Discurso de Cid Gomes foi usado por apoiadores de Bolsonaro em carreata. (Foto: Tribuna do Ceará)

Discurso de Cid Gomes foi usado por apoiadores de Bolsonaro em carreata. (Foto: Tribuna do Ceará)

Na reta final da campanha pela presidência da República, eleitores do candidato Jair Bolsonaro (PSL) saíram pelas ruas de Fortaleza em apoio ao militar neste domingo (21). Na carreata, apoiadores fazem referências a polêmicas da última semana como acusação de que Bolsonaro foi beneficiado por esquema de “caixa 2” e o discurso do senador eleito Cid Gomes (PDT) contra o PT.

No primeiro carro, à frente da mobilização, estavam os deputados federais eleitos Capitão Wagner (Pros) e Heitor Freire (PSL), os estaduais eleitos André Fernandes (PSL),  Delegado Cavalcante (PSL) e Soldado Noélio (Pros) e o deputado estadual Ely Aguiar (DC) que não conseguiu reeleição.

A carreata partiu do comitê na avenida Antônio Sales e segue por avenidas da área nobre, onde Bolsonaro teve melhor desempenho no 1° turno na Capital.

Dos carros, eleitores faziam gesto de armas com as mãos, símbolo da campanha de Bolsonaro e expunham referências a polêmicas envolvendo PSL e PT. Um grupo colocou sobre o carro uma caixa de papelão com os dizerem “caixa 2”, prática ilegal de que Bolsonaro está sendo acusado.

De acordo com denúncia da Folha de S. Paulo, empresas estão comprando pacotes de disparo em massa de mensagens contra o PT no Whatsapp. A prática é ilegal, pois se trata de doação de campanha por empresa, ato vedado pela legislação eleitoral, além de não ser declarada. Cada contrato chegaria a R$ 12 milhões, conforme o jornal.


Discurso de Cid Gomes foi usado por apoiadores de Bolsonaro em carreata. (Foto: Tribuna do Ceará)

Outra caso manifestado na carreata foi o discurso de Cid Gomes contra o PT, durante evento pró-Haddad em Fortaleza. Na ocasião, ele disse ser “bem feito o PT perder a eleição” e, após gritos de “Lula”, atacou a militância: “Lula tá preso, babaca”. O episódio gerou uma crise na relação entre PT e PDT no Ceará.

Cid não participou da agenda do candidato Fernando Haddad (PT) no Estado, neste sábado (20), mas foi citado por ele e fez campanha nas ruas de Sobral.

Devido ao estado de saúde de Bolsonaro, que passou por cirurgias na região do abdômen depois de ser vítima de uma facada, o candidato não deve vir pessoalmente à Fortaleza até o final da campanha. Em comício na Praça do Ferreira, o adversário Haddad subiu o tom contra o capitão da reserva, chamando-o de “soldadinho de araque”.

Tribuna do Ceará21 de October de 201813:33Publicado primeiro em TRIBUNA DO CEARÁ

Hits: 13

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *