Comissão da Câmara aprova entrega da Base de Alcântara (MA) aos Estados Unidos

BRASIL

Comissão da Câmara aprova entrega da Base de Alcântara (MA) aos Estados Unidos

Soberania Nacional

Texto final da Comissão de Relações Exteriores permite aos EUA lançar foguetes, satélites e espaçonaves no Maranhão

Igor Carvalho |
Para o deputado federal David Miranda (PSOL-RJ), o projeto coloca “o Brasil de joelhos diante dos Estados Unidos”
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O acordo entre Brasil e Estados Unidos, que autoriza os americanos a explorar a Base de Alcântara, no Maranhão, foi aprovado pela Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (21). Foram 21 votos favoráveis e 6 contrários. O projeto ainda precisar ser examinado nas comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e Ciência e Tecnologia, antes de ir à votação em plenário. Uma vez aprovado pela Câmara, será a vez do Senado analisar o tema.

O texto final aprovado pelos deputados da Comissão presidida por Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) autoriza o lançamento de foguetes, espaçonaves e satélites, que tenham algum componente estadunidense. Porém, veda o lançamento de mísseis.

O documento também prevê a possibilidade de ampliação do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), o que prejudicaria as comunidades quilombolas vizinhas à base, que lutam pela demarcação de seus territórios.

::Para entregar a base de Alcântara aos EUA, governo federal pode remover quilombolas::

O deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) criticou a aprovação do texto. “O acordo aprovado na sessão de hoje privilegia os EUA em detrimento de nosso interesse nacional e fere nossa soberania. O acordo não é interessante no campo econômico e muito menos no militar. Podemos afirmar que o projeto de Bolsonaro é colocar o Brasil de joelhos diante dos Estados Unidos”, afirmou o deputado.

O acordo foi firmado em março deste ano, durante a visita de Jair Bolsonaro (PSL) a Donald Trump, em Washignton. O filho do mandatário e presidente da Comissão de Relações Exteriores, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), tem interesse direto na aprovação do texto, que pode ser um trunfo em seu pleito à cadeira de embaixador brasileiro nos EUA.

::Leia também: Eduardo Bolsonaro usou comissão da Câmara para pedir intervenção armada na Venezuela::

PT e PSOL votaram contrários ao projeto. Porém, PCdoB, PDT e PSB aderiram ao projeto, com a ressalva de que o projeto tenha como apêndice um decreto legislativo que contenha cláusulas interpretativas do texto.

21 de August de 201919:58


Publicado Primeiro em Brasil de Fato

Hits: 5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *