Documentário Escola sem Censura terá exibição gratuita e debate nesta segunda-feira

BRASIL

Documentário Escola sem Censura terá exibição gratuita e debate nesta segunda-feira

CINEDEBATE

Diretor do filme, Ricardo Severo, participa de bate-papo no CineBancários, em Porto Alegre

Do Andes-SN |
Documentário aborda o embate entre a autonomia docente e o projeto Escola sem Partido
Divulgação

O documentário Escola Sem Censura, que aborda o embate entre a autonomia docente e o projeto Escola sem Partido, terá exibição gratuita em Porto Alegre nesta segunda-feira (08). A atividade, que acontece das 19h às 21h30 no CineBancários (General Câmara, 424), integra o curso de extensão “Educação Democrática: Debates Itinerantes sobre Censura”, da Faculdade de Educação da UFRGS (Faced), em parceria com Associação Nacional de Política e Administração da Educação (Anpae), Associação de Mães e Pais pela Democracia e Comissão de Educação da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, com o apoio da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped). O ANDES/UFRGS e a Frente Gaúcha Escola sem Mordaça também apóiam a atividade.

Após o filme, haverá debate com o diretor Ricardo Severo, que também é professor na FURG. Lançada em novembro, a produção aborda a perspectiva dos docentes em relação ao Escola sem Partido, seu impacto sobre a atividade mesmo sem ser sancionado e os rumos sombrios que a educação pode tomar em caso de aprovação da medida, que voltou à pauta política nacional este ano.

No Youtube, o filme já registra mais de 47 mil visualizações. Os depoimentos debatem a proposta defendida pelo projeto, que retoma um universo ultraconservador e incita um processo de perseguição a professores. Também mapeia a rede de atores políticos e organizações ligados à extrema direita brasileira implicada na promoção do projeto.

“O projeto constrói uma narrativa de criminalização da atividade docente, em especial nos debates sobre gênero, raça e direitos humanos e, em casos extremos, ao próprio entendimento da ciência. Conseguiu-se consolidar uma visão de que o ambiente educacional é perigoso às crianças e adolescentes ao tratar de questões que buscam tratar do respeito ao próximo, por exemplo. Além do objetivo imediato de gerar constrangimentos, serve, em última análise, como forma de  legitimar o sucateamento da educação de modo geral, pois faz com que a educação não seja mais compreendida como um bem comum, e portanto, não merecedora de investimentos”, enfatiza Severo.

Diálogos da Educação Democrática

O evento faz parte da iniciativa Ação Educação Democrática, realizada em todo o Brasil como ferramenta de debate sobre alternativas ao Escola sem Partido. Na UFRGS, o projeto teve início em maio, e contempla agendas ao longo deste e do próximo semestre. O curso é gratuito, aberto ao público e fornece certificado da Universidade.

Para saber mais sobre as iniciativas do Ação Democrática no país, acesse aqui.

5 de July de 201917:41


Publicado Primeiro em Brasil de Fato

Hits: 17

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *