“WikiFavelas”: Fiocruz lança Dicionário de Favelas Marielle Franco

BRASIL
“WikiFavelas”: Fiocruz lança Dicionário de Favelas Marielle Franco

MEMÓRIA

Plataforma digital circula o conhecimento e estimula produção sobre favelas, segundo coordenadora do projeto

Clívia Mesquita |
“WikiFavelas” foi lançado em evento nesta terça-feira (16) na Fiocruz com apresentações culturais e homenagem à Marielle Franco
Reprodução

Uma plataforma virtual de acesso público que reúne verbetes sobre as mais variadas temáticas relacionadas à vida e as manifestações culturais na favela já está disponível na internet. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançou nesta terça-feira (16) o “WikiFavelas”, Dicionário de Favelas Marielle Franco, como parte das comemorações aos 33 anos do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz).

Para além de expressar as narrativas e concepções sobre favela, o objetivo de compilar o material também é fazer circular o conhecimento para o público mais amplo. Além disso, segundo a coordenadora do projeto e cientista política, Sonia Fleury, um acervo digital assegura que a memória não se perca e esteja sempre em movimento.

“Na verdade, o dicionário é um grande centro de estudos, comunica o que está sendo produzido e estimula maior produção sobre as favelas”, afirma. No catálogo do dicionário qualquer pessoa pode acessar uma lista com mais de 295 páginas e 152 verbetes, que já conta uma rede de 91 colaboradores de diferentes favelas cariocas.

“Baile funk”, “Carnaval de rua na Maré”, “Teatro de resistência”, “Rolezinho”. São milhares as atividades nas favelas que dinamizam o cenário cultural do Rio de Janeiro, algumas são pouco conhecidas. Por outro lado, outras se popularizaram entre as classes média e alta, mas continuam sendo reprimidas quando acontecem nas periferias.

Desde 2017, grupos de pesquisadores que estudam favelas em diferentes instituições se reuniram para elaborar um projeto que aproximasse a academia das favelas, mobilizando centenas de autores. Com o aporte da tecnologia da informação foi possível construir a plataforma e organizar a memória coletiva das comunidades.

Por isso, a Fiocruz vai apoiar oficinas de trabalho para grupos organizados de museus e centros de estudos das favelas que precisam de apoio técnico. Para Sonia, o lançamento do Dicionário é só o começo da construção coletiva do conhecimento e representa um salto de qualidade nos acervos.

O evento de lançamento nesta terça (16) contou com a apresentação do Grupo Música na Calçada, de Manguinhos, apresentação do “WikiFavelas”, homenagem à Marielle Franco seguida de uma roda de conversa e encerramento com atrações culturais como Slam Laje, do Morro do Alemão, o Repper Fiell, de morro Santa Marta e o grupo Poesia de Esquina, da Cidade de Deus.

Marielle Franco

No “WikiFavelas” é possível ler um texto elaborado pela vereadora Marielle Franco. Ela escreveu uma proposta de verbete, a convite de Sonia, sobre sua monografia “UPP – A redução da favela a três letras: uma análise da Política de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro”. Após o assassinato, o Conselho Editorial do Dicionário decidiu trocar o nome “Dicionário de Favelas Cariocas” pela homenagem.

“Queremos mostrar que assumimos os mesmo compromissos que Marielle. Queremos uma cidade no qual mulheres, negros, favelados, com suas especificidades locais, de gênero, raça, sejam cidadãos respeitados”, ressalta Sonia. A segunda fase de elaboração do verbete sobre a pesquisa foi escrito pela equipe do mandato.

16 de April de 201917:10


Publicado Primeiro em Brasil de Fato

Hits: 11

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *